Lábios

  

O beijo com o qual conheci-te,
Envolvendo-nos em paixão e ternura, 
Numa noite fria, numa praça pouco iluminada,
Foi também o beijo com o qual disseste-me adeus.

O primeiro beijo envolveu-nos em luxúria,
Enquanto o último separou-nos numa leve ternura,
Uma ternura que sabia a fel.

Que lábio são estes que proporcionam doçura e amargura? 
Que lábios são estes que proporcionam alegria e tristeza?
Que lábios são estes que proporcionam proximidade e distância?

O primeiro beijo foi adocicadamente ardente,
O último beijo foi amargamente gélido,
Ambos gravados em minhas lembranças de um amor que ruiu.

A boca com que me beijastes já não existe mais, 
Embora tenha teus lábios avermelhados,
Nenhuma paixão me traz.

Tudo começou com um beijo,
Tudo terminou com um beijo,
Que transformou-se em poesia.

 
 
Anúncios

Um pensamento sobre “Lábios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s