Beija-flor 

Com suas asas velozes,

Suspenso por sua agilidade e leveza, 

Paralisado como que com asas invisíveis,

Jaz o beija-flor.

Seu bico comprido

Penetra no mais profundo da

Adocicada flor,

Extraindo dela o néctar que lhe garante a beleza e vigor.

Oh pássaro pequeno,

Ao passado me fizeste voltar, 

Quando meu saudoso pai com

Água doce em flores de plástico buscava te encantar.

Quase uma dezena de flores açucaradas,

Na longa varanda penduradas aguardam a tua chegada.

Meus olhos de menino encantado com a tua beleza,

Sonhava em um dia poder voar com a tua leveza.

Foi-se o beija-flor que por anos meu pai alimentou,

Foi-se a varanda onde um dia este menino sonhou, 

Resta apenas a saudade das flores de plástico,

Que com carinho meu pai as pendurou.

por Luis A R Branco

 

Adquira o livro “Poesias, Prosas e Pensamentos” por apenas $2,99 (R$6,60)


ONDE COMPRAR

Anúncios

5 pensamentos sobre “Beija-flor 

  1. Pastor! Que linda essa poesia. Como mecheu com meus sentimentos, me fazendo recordar a minha infância. Na companhia do meu saudoso pai. Como nos admirávamos os beija-flores.

  2. Pingback: Beija-flor (Hummingbird) | Clowtec

  3. Reblogged this on Espaço de VIRGINIA and commented:
    Essa linda poesia transportou-me à minha infância e adolescência quando eu tinha sempre um frasco de plástico com água para que os beija-flor bebessem. Ainda hoje em dia,eles vêm ao meu quintal e beijam as minhas flores.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s