Provérbios e prosas IX

O importante não é o caminhar rápido, Mas sim chegar ao destino. Quem muito corre, Muito se cansa. Ligeiro é o relâmpago, Mas logo desaparece. Minha mãe lavava a roupa, E eu destruí sua caixa de sabão. Revoltado eu vivia, Entretanto, ninguém via-me. Engolia a seco minha rebeldia E em silêncio sofria. O mais rico…

Provérbios e prosas VIII

Não pense tão alto de ti mesmo, Ao ponto de não restar espaço para você voar. Não pense tão baixo de ti mesmo, Ao ponto de não restar espaço para pousar. Teu riso seja na medida certa, De preferência que teus inimigos não ouçam. Juntávamo-nos todas as tardes parar nada, Sonhava-se tolices, Esbanjava-se misérias, Ríamo-nos…

Provérbios e prosas VII

Apega-te a pouca coisa Para que o teu fardo seja leve. Quanto mais cedo abandonarem o excesso, Mais prazerosa será a jornada. Vovó era simples, Fazia bolos e pães em um forno feito no barranco de barro. Numa mesa de madeira rústica, Sentavamos a espera do pão quentinho. Escolha primeiro o caminho certo, Se estiver…

Provérbios e prosas VI

Quem muito caminha nem sempre vai mais longe. O relâmpago de tão veloz é temido. As ondas do mar são incansáveis, vindo uma após a outra sem parar. O vento que acaricia a face também derruba o carvalho. Meu pai plantou um jardim. Nele havia azaléas, cravos e jasmim. Margaridas não podiam faltar, Nem tão…

Provérbios e prosas V

Amou tão fácil Que depressa esqueceu-se. Desejou tão profundamente Que depressa sufocou-se em sua própria aspiração. Durante dias e noites Num trilho de ferro frio, No fervor de um trem escaldante, Atravessei a Índia do Ocidente ao Oriente. Com o coração não se brinca, A menos que queira chorar. Os sentimentos tomam vida, Que causam…

Provérbios e prosas IV

Nunca me amaste, Amaste a ti mesmo E usaste-me para consolar teu coração entorpecido. Meu tio casou sete vezes, Mais ou menos, não sei. Continua a casar, mas se ama, possível será? A orquídea ressequida na mesinha de canto floresceu, Não há quem resista um bocado de cuidados seus. À planta trouxeste a vida que…

Provérbios e prosas I

É por se falar muito Que ouve-se pouco. A vida é curta para tantos amores, Tal como é curta para tantos desamores. Resolvi amar nem muito e nem pouco, Apenas na medida certa. Atravessou-me frio o punhal que tua mão empunhou! Fiquei feliz com o cavalo que meu pai comprou, Depois de todo o preparo…