A ABAFABANCA E OUTRAS COISINHAS DE ANTANHO

Neste texto, reverencio a tradição gráfica do Português europeu admitida nos limites do Acordo Ortográfico de 1990, e assim o faço em homenagem ao dileto amigo, Doutor Luís Alexandre Ribeiro Branco, a quem agradeço a gentileza de abrir-me as portas do seu blogue VERDADE NA PRÁTICA, dando-me a oportunidade de publicar este modesto texto. Em…

Verbum Regis, sic! – II

Dia desses, ao interagir no Twitter com o nosso professor gaúcho José Carlos Bortoloti – cujo nome de paz é @profeborto – recebi dele a sugestão para produzir algo mais sobre o COGITO ERGO SUM, dicionário especializado em comentários de expressões latinas, escrito por Orlando de Rudder, objeto do nosso primeiro texto. Disse-lhe que a ideia era boa.…

Reformados e pensionistas

Na tarde de um desses dias, fiquei por algum tempo na entrada de um banco, enquanto lá dentro uma pessoa da família providenciava umas coisas. Observando o intenso vaivém das pessoas, percebi como, ao adentrarem o edifício, todas elas esboçavam o semblante carrancudo, contraído, revelando assim a tensão e a preocupação que lhes corroíam o…

Letra de Médico

No passado 12 de dezembro do ano em curso, a professora Zilda Carloni [@ProfZi] publicou um interessante microconto na rede social Twitter. Conta-nos ela que “O médico foi esquiar, se perdeu nas trilhas e morreu. Até escreveu “socorro” na neve, mas ninguém entendeu sua letra”. Tratando-se de uma ficção, dispensam-se as lamentações; sobra-nos, contudo, a…

Quod erat demonstrandum

A Seção VIII da Constituição Federal brasileira de 1988 dedicou-se a estabelecer normas que regem o processo legislativo brasileiro. Depois de percorrer uma espinhosa vereda na primeira Casa legislativa que o aprovar, o projeto de lei obedecerá outra via crucis na segunda Casa. Pode ser que esta o devolva para a Casa originária, mas se…

Remexendo o passado

Os meus infantis tempos em Jequié, BA, marcam-se por alguns inesquecíveis episódios. Do bairro onde morávamos podia ver-se uma longa ponte sobre o Rio de Contas. Hoje, sob essa ponte correm águas previamente aproveitadas a montante, depois de terem circulado pelas turbinas da Usina Hidrelétrica Barragem de Pedra. À noite, eu me punha a mirar…