Sensibilidade

Que lágrima é esta que corre pelo rosto? Que aperto é este no peito? Um coração atravessado pela saudade E uma mente perturbada pela ausência. Fazes tanta falta! Eras tão fraca, Mas eu sempre vi-te tão forte! De repente desapareceu, E deixaste um vazio imensurável. Será assim para sempre, Uma dor que nunca encontra alívio.…

Um flagelo silencioso 

Em minha noite sombria, Rodeei o teu túmulo. A cada volta minha perguntava por ti, Mas ninguém respondia-me cousa alguma, Dentre os horrores da morte jaz o silêncio. Num desespero de saudade segui pela rua a chamar pelo teu nome. Gritei por ti como uma criança desesperada, Mas ninguém ouvia-me. Quisera eu ouvir uma vez…

Caminhar descalço 

   Nem sempre estar vivo é sorte, Às vezes é como uma longa caminhada descalço Sobre pedras pontiagudas. Meus pobres pés, feios e por vezes repugnante, É o pilar sobre o qual sustenta-se toda esta coisa chamada vida. São pés simbólicos, Pois nem todos podem pôr-se em pé, Mas ainda assim caminham sobre as mesmas…

Torrão

   A noite é escura, As horas ligeiras atravessam a madrugada,  Meus olhos abertos, meus pensamentos dispersos e um sono que não anuncia a sua chegada. Lembranças diversas, Uma saudade perversa aperta-me o peito inflado por vozes, rostos, toques e cheiros que jamais voltarão, Carrasco é a noite que me conduz sem piedade de mãos,…

Noutro dia

Num dia o sorriso, Noutro dia o pranto. Num dia o afago, Noutro dia o abandono. Num dia a tua presença,  Noutro dia a tua ausência. Num dia a alegria, Noutro dia a tristeza.  Num dia beijei-te um beijo de boa noite, Noutro dia beijei-te um beijo do adeus.  por Luis A R Branco      Conheça…