Reformados e pensionistas

Na tarde de um desses dias, fiquei por algum tempo na entrada de um banco, enquanto lá dentro uma pessoa da família providenciava umas coisas. Observando o intenso vaivém das pessoas, percebi como, ao adentrarem o edifício, todas elas esboçavam o semblante carrancudo, contraído, revelando assim a tensão e a preocupação que lhes corroíam o…

Islamismo, que fazer?

Vivemos dias de incertezas na Europa e outros lugares do mundo. Motivo? A violência desenfreada, imprevisível, injusta, cruel e inconcebível por parte do islamismo. Setores do governo e da sociedade optaram pelo politicamente correto, portanto, mentem ao dizer que o ataque de um muçulmano à não-islâmicos nada tem a ver com religião, é mera fatalidade.…

Presidente vs Presidenta 

Não suporto ouvir os políticos petistas referindo-se a Dilma como “presidenta”. As palavras não possuem sexo (macho/fêmea), mas género (masculino/feminino). Sexo é relativo à biologia ou a fisiologia. Género é relativo à gramática, um conjunto de palavras que terminam com o mesmo final masculino ou feminino. Quando a Dilma inventou o “presidenta” ela atribuiu sexo…

O bode golPisTa

Em 1992, ano em que o Senado Federal brasileiro declarou o ex-presidente Fernando Collor de Mello impedido de exercer o mandato presidencial para o qual fora eleito – legitimamente eleito, ressalte-se – calhou-me de estar a frequentar uma das disciplinas de direito constitucional no curso de Direito da Universidade Católica do Salvador. O tema da altura era,…

Somos brasileiros antes de sermos homens

Na verdade tomei a frase acima emprestada do filósofo português José Gil ao referir-se a identidade dos portugueses dentro de alguns pressupostos de vertente exclusivamente lusitana. No entanto, a frase “somos brasileiros antes de sermos homens”, aplicarei à nossa realidade enquanto povo, sem contudo, importar nada para além desta frase de José Gil para refletir…

Entrevistas com José Carlos Bortoloti

1.- Uma pergunta direta para um educador. Como vai a educação no Brasil hoje? Nobre e admirado professor doutor Luís A. R. Branco, estimadíssimo brasilês/português; Simploriamente? Não vai. Já morreu, literalmente, ao povo ignorar seu meio mais precioso, a educação familiar, do qual foi sua primeira formação, e tal qual Jung, deixar que seu “inconsciente coletivo”…