A chuva que não veio

Já há algum tempo que não chove,

A terra secou, o ar poluiu-se, a flor murchou.

O ar pesado, meu peito cansado, meus olhos molhados.

Meu Deus, o que foi que me deu?

O efémero não me atrai,

A vaidade me aborrece,

As falas vazias não me convidam,

Na sala sozinho, meu esconderijo.

Quando eu ando escuto o arrastar dos meus passos,

Mas ainda oiço o cantar dos chora-chuva,

Dizem que o cantar destes seres anunciam a chuva,

Que ela venha meu coração regar.

por Luis A R Branco

Um pensamento sobre “A chuva que não veio

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s