Dor

Posted on 18 de Abril de 2017

1


E eu que achava que as poesias só falavam de flores e amores,
Foi quando minh’alma inchada pelas dores desta vida ,
Procurou nos versos uma palavra de alento.
As poesias para mim sãos fragmentos,
Uma palavra aqui,
Um verso acolá,
Que vou ajuntando na medida em que caminho em busca de consolo.
O que me dói é a dor do pobre que tanto trabalha e mal consegue pagar suas contas.
O que me dói é o desprezo com que o imigrante é tratado.
O que me dói é ver aquela mãe que trabalhou tanto durante o dia que não tem forças para segurar seu filhinho ao colo quando chega do trabalho.
O que me dói é aquela mulher e a violência do seu marido.
O que me dói são olhos tristes dos pais ao verem seu filho a afundar-se nas drogas.
O que me dói são as milhares de mulheres vítimas do tráfico humano para satisfazer as casas de prostituição nos Estados Unidos e Europa.
O que me dói é esta religião sem piedade.
O que me dói é esta divinização sem Deus.
O que me dói é esta violência toda em nome de Deus.
O que me dói é a falta de liberdade dos meus irmãos.
O que me dói é a fé no dinheiro.
O que me dói é a mentira, qualquer que seja.
O que me dói é a fome, a sede e o frio.
O que me dói é o abuso do poder.
O que me dói é a passividade.
O que me dói é a vaidade, o orgulho e a altivez.
O que me dói sou eu aqui sentado junto a esta janela enquanto a desgraça caminha sorridente pelas calçadas.
O que né dói é esta incapacidade e esta indignação solitária.
Queria apenas uma luz.

por Luis A R Branco

Advertisements