Jura

Envolvi-me tanto que confundi
Teus olhos com o brilho das estrelas.
Tua voz serena
E teu sorriso aberto,
São como o som das águas duma cachoeira em dias de verão.
Teus dentes brancos
Lembram-me a cor das túlipas do jardim dos meus sonhos.
Tudo em ti é beleza bucólica.

Teus cabelos macios
E tua pele sedosa
São como as plumas de uma ave rara deixada em meu jardim.
Teus dedos compridos
E tua mão fina,
Lembram-me a delicadeza das donzelas de fino trato
Encontradas nas poesias de Hafiz.
O grande poeta dos persas!

Talvez amei-te mais do que devia,
Talvez amei-te menos do que merecias.
Quem há que possa medir o amor?
Não sou Aquiles com sua brutalidade,
Nem Hermes com seu charme,
Não sou deus, titã ou semi-deus.
Sou alma que sente, que morre, que transcende.
Sou aquele a quem juraste teu amor.

por Luis A R Branco

Anúncios

2 pensamentos sobre “Jura

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s