A Bíblia de Frederico Lourenço Volume I

Em minha avaliação desta tradução dos evangelhos venho esclarecer alguns pontos observados. 1) Na apresentação da sua obra Frederico Lourenço deixa claro que a sua tradução é não confessional, eu diria que é supra-religiosa. O tradutor refere-se a Jesus como uma pessoa carismática, e juntando outros por menores da obra o tradutor parece ter interesse em uma versão humanista dos evangelhos e do Cristo. Na verdade, ao contrário do que diz o tradutor, Jesus não apresenta sinais de carisma em seu ministério, as pessoas o seguiam ou o abandonavam pelo conteúdo da sua mensagem, por seu caráter irrepreensível e por suas obras poderosas e inigualáveis. 2) Quanto a menção do autor dos demais livros na Bíblia grega por ele utilizada para além dos 66 livros canônicos para os cristãos primitivos e pais da igreja, é importante ressaltar que embora a existência destes livros seja uma realidade nem Jesus, nem os apóstolos, nem a maioria dos pais da igreja fizeram citações a partir destes livros. Sendo assim, ainda que o tradutor esteja decidido incluir tais livros na sua obra, o que será ao certo uma mais valia, continuarão a ser livros apócrifos por não terem sido incluídos pelo métodos utilizados pelos primeiros cristãos como livros canônicos. 3) Um outro aspecto a ser observado é a contextualização, ou seja, a transliteração de palavras, frases e conceitos utilizados pelos autores bíblicos para os dias atuais. Embora deva reconhecer que Frederico Lourenço fez um trabalho melhor que outras traduções que optaram por trilharem o caminho da paráfrase do texto, ainda assim foi pobre em algumas pontos, como por exemplo, na tradução da palavra “arrependimento”, a que traduz secamente como “mudança de mente”. O mesmo ocorre quando traduz a frase “Filho do Homem” para “Filho da Humanidade”. Em ambos os casos o tradutor optou pela direção humanista do texto ao contrário de valer-se do sentido espiritual das palavras dentro do seu contexto histórico-gramatical. Enfim, um bom trabalho, mas deixa a desejar em comparação com outras versões como Almeida Revista e Corrigida Fiel ou A Bíblia de Jerusalém.

por Luis A R Branco

3 pensamentos sobre “A Bíblia de Frederico Lourenço Volume I

  1. Entre os livros considerados sagrados, a Bíblia é uma obra que se destaca.Nenhum outro livro influenciou as crenças de tantas pessoas por um período tão longo.Mas nenhum outro livro foi alvo de tantas investigações e críticas.Por exemplo, alguns estudiosos acham que a Bíblia que temos hoje não é uma cópia confiável dos escretos originais. Um professor universitário de religião diz:”Simplesmente não tem como saber se conseguimos recuperar o texto original de modo exato. Só temos cópias cheias de erros, e a grande maioria delas foi feita séculos depois das originais.
    Além disso, é provável que existam milhares de diferenças entre cópias e originais.”
    Em resumo é incrível história da sobrevivência da Bíblia.

  2. A Bíblia é coerente. Se a tradução não lhe dá este amparo, logo, há erros.

    “O tradutor refere-se a Jesus como uma pessoa carismática, …” ==> Isaías não diz isto, mas sim, que foi rejeitado…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s