Desconhecida

Posted on 8 de Abril de 2016

3


74974.png
Entraste silenciosa,
Tal como a brisa que sopra suave sobre a frágil flor.
Tua presença firme, mas ainda delicada,
Despertou no poeta estes versos que lês,
Uma poesia curiosa por saber quem tu és.

Não, espere, não importa-me o nome,
Não, não importa-me quem sejas,
Pois tudo o que preciso vi em tua discreta beleza,
A curiosidade cedeu,
Venceu a privacidade.

Não é preciso trocar palavras,
Não é preciso trocar olhares,
Não é preciso trocar identidades.
Apenas tua presença majestosa e paradoxalmente singela
É suficiente para a minha curiosidade de poeta.

Meus versos não tencionam ofender-te,
Meus versos apenas desejam mostrar que és notada,
Sem que precises fazer nada para atenção obter,
São versos de um poeta desconhecido que apenas busca
Tua presença engrandecer.

por Luis A R Branco

IMG_4457-0

CONHEÇA E ADQUIRA OS LIVRO DE LUIS A R BRANCO CLICANDO NUM DOS LINKS ABAIXO:

Anúncios
Posted in: Poema, Poesia