Amor eterno

Posted on 16 de Novembro de 2015

1


IMG_4482
Tento esquecer a tua voz,
Não que me aborreça,
Mas é que a constante e inevitável lembrança,
Trazem-me uma saudade imensurável de ti.

Ai como nós humanos somos tão apegados uns aos outros,
Basta amar uma vez,
E já tornamo-nos cativos.
Cativos pelo amor uns aos outros.

Foste embora minha flor,
Nada de ti restou,
Apenas as três últimas peças de roupa que usaste, umas fotografias, teu último perfume e um par de brincos.
Na hora que o coração aperta, vou atrás do teu cheiro adocicado.

O mais cruel é saber que a tua viagem não tem volta,
Breve irei eu, breve pois a vida é curta.
Haverá um reencontro? Não sei, mas ainda assim te amarei eternamente.
O que o coração amou, eternizou-se na alma.

por Luis A R Branco

  
CONHEÇA E ADQUIRA O MAIS RECENTE LIVRO DE LUIS A R BRANCO CLICANDO NUM DOS LINKS ABAIXO:

Anúncios
Posted in: Poema, Poesia, Saudade