Alexandre

Posted on 10 de Abril de 2015

0


Fui dormir sem sono,
Levantei-me com vontade de dormir.
Uma espada de inquietude atravessou-me a alma,
Impedindo-me de sorrir.

Como um mar revolto são os meus sentimentos,
E como um fogo incontrolável são os meus pensamentos.

A noite tem sido para mim a continuação do dia,
E o dia o desespero pela noite.
Oxalá tivesse a força que irrogaram-me os homens,
E com a simples vontade levasse adiante a força do meu nome:

Alexandre, o protetor do homem.

por Luis A R Branco

IMG_4457-0

CONHEÇA E ADQUIRA NOSSAS PUBLICAÇÕES CLICANDO NUM DOS LINKS ABAIXO:

Anúncios
Posted in: Poema, Poesia