O melhor investimento

Posted on 14 de Setembro de 2014

0


Extraído do Google Imagens

Extraído do Google Imagens

Todos os dias praticamente recebo alguns e-mail com várias propostas de investimento e dinheiro fácil, seja através de depósitos a curto, médio e longo prazo em algum banco, seja do tipo “ganhe dinheiro sem sair de casa” ou aquela famosa proposta do Kuwait ou da Nigéria onde apenas solicitam seus dados para depositarem em sua conta quinze milhões de dólares por simples boa vontade. Uma outra possibilidade de tentar ganhar um dinheiro fácil é através de jogos de loteria ou nas casas de bingo e cassinos.

Na realidade, a possibilidade de você ganhar algum dinheiro fácil é remota, na verdade a chance de alguém ganhar na loteria, por exemplo, é de 0,03% dependo do número de competidores ou em números exatos você tem 1 chance em 14 milhões de ganhar alguma coisa. E imaginar que todos os dias milhões de pessoas gastam seus recursos, muito ou pouco, com estes tipos de jogos é perturbador. Quanto ao dinheiro fácil em casa ou vindo de algum lado, não caia nesta conversa fiada. Já o investimento bancário, pode ser muito atrativo e resultar em algum retorno.

No meu caso, nasci de uma família pobre, minha mãe e pai tiveram que trabalhar duro para nos sustentar. Foram inúmeras as noites em que eu e meus irmãos passamos sozinhos em casa para que meus pais pudessem trabalhar, ela numa pizzaria e ele num restaurante. Depois meus pais passaram a ser caseiros em casas de alguns afortunados e assim passávamos mais tempo juntos e por fim comecei a trabalhar de carteira assinada (contrato) com 14 anos de idade numa loja de ferragens. Não, a vida não me foi fácil e não me é fácil.

Quando me dediquei ao ministério de tempo integral durante dois anos não recebia nada, o que era enviado pela igreja mal dava para cobrir minhas despesas com a missão e algumas vezes deixei de ir para casa nos feriados e férias por não ter dinheiro algum. Lembro-me de uma ocasião em que vivia em Belo Horizonte, a escola onde me preparava para o ministério entrou de férias e todos foram para casa e eu fiquei, pois não tinha dinheiro para ir para casa. Nesta ocasião a cozinha da escola havia fechado para as férias e fiquei sem comer por três dias, perambulando pela Avenida Afonso Pena, até que ao final de três dias recebi uma oferta de um amigo e pude viajar até o Rio de Janeiro e passar um tempo com minha família,

Quando segui para missões na índia, meu sustento era limitado à 250 dólares, dos quais 200 dólares iam para a missão, para cobrir minhas despesas com moradia e alimentação e me sobrava 50 dólares para comprar meus produtos de higiene pessoal, transporte, remédios e outras despesas extras. Os primeiros três anos ali foram de muitas dificuldades. Lembro-me de um dia em que havia acabado a comida e eu não tinha nenhum centavo e vivendo lá do outro lado do mundo. Desanimado, pensativo e em angustiosa oração fui caminhar pela rua, quando avistei no chão algumas notas novinhas, olhei para um lado e para outro e não vi ninguém a quem pudesse pertencer o dinheiro e ao contá-lo, para minha surpresa, havia exatamente o valor que eu gastava numa semana com alimentação.

Na verdade, nestes vinte anos de ministério minha família e eu nunca tivemos uma condição financeira lá muito boa, obtivemos o suficiente e as vezes um pouco menos e raras vezes um pouco mais. Meu primeiro carro comprei aos quarenta anos de idade e meus estudos foram pagos com muito sacrifício e choradas bolsas escolares. Espero que não entenda este artigo como uma lamentação pelos meus caminhos apertados, bem pelo contrário, quero é lhe encorajar a não colocar seu coração na dependência das coisas e pessoas, mas em Deus, pois ele tem todo o poder para suprir as nossas necessidades e nos ajudar a passar por qualquer caminho apertado. Mesmo com um passado pobre, toda uma vida financeira limitada, sempre fomos surpreendidos por Deus de alguma forma. Imagine eu, saindo de onde saí, contando com os recursos apertados que sempre tive e mesmo nestas condições já viajei por quase trinta países do mundo. Como? Cada país um milagre especial! Imagine eu, saindo de onde saí, contando com os recursos apertados que sempre tive, pude concluir meus estudos básicos, uma licenciatura, um mestrado e agora dois doutorados. Como? Cada curso um milagre especial! Nunca tivemos nada em excesso, sempre fomos limitado e dependentes de Deus, que nos surpreende em cada necessidade. Um caso inusitado foi a de um indianos que veio até Portugal, para ficar apenas um dia, pois segundo ele, Deus o havia orientado para trazer em mãos mil euros para nossa família. Na noite anterior a esta oferta, na cama conversávamos minha esposa e eu sobre nossa necessidade, que foi suprida de forma surpreendente no dia seguinte.

Não sou do tipo que fala sobre dinheiro na igreja, são pontuais as ocasiões em que faço isto, mas nunca em nosso favor, mas em favor da própria igreja. Não creio que dízimos e ofertas sejam instrumentos de barganha com Deus. Aliás, para que Deus iria alguma vez precisar do nosso dinheiro? No entanto, não posso deixar de comprovar que aqueles que escolhem o reino de Deus como sua forma de investimento, não ficaram desapontados. Nunca faça isto esperando receber cem vezes mais ou qualquer outra coisa, faça por amor a Deus e a sua causa e você se surpreenderá com a alegria que tomará seu coração quando você coloca seus recursos a disposição de Deus. Sou dizimaste e ofertante desde que me converti ainda pré-adoloescente e pelas histórias narradas no início deste artigo poderá comprovar que meus apertos não desapareceram por conta disto, mas estou para encontrar alguém que tenha desfrutado de toda felicidade que tenho desfrutado com o Senhor desde que reconheci que tudo o que tenho, tudo o que não tenho e tudo o que vier a ter pertence a Deus. Uma felicidade que juros bancários algum poderá lhe conceder.

O motivo deste artigo é despertá-lo para a necessidade de reordenar sua vida, seus recursos e seus investimentos. Você não será censurado por optar em usar seus recursos da maneira que bem lhe aprouver, no entanto, quero desafiá-lo a fazer algo diferente, a exceder em generosidade, seja para com a sua igreja, seja para com uma família missionária, seja para uma organização de apoio social. Como já disse, não creio em barganha com Deus, mas não posso deixar de crer que Deus age de maneira exponencial com aqueles que agem com ele de maneira exponencial. Barganha não, é tolice! Mas abundante graça é uma realidade inquestionável.

Se reparar, escrevi todo este artigo sem citar versos bíblicos o que poderia fazer aos montes, mas resolvi não utilizá-los, não neste artigo e assunto, para que ninguém imagine que resolvi usar a Escritura para manipulá-lo a fazer qualquer coisa. O dinheiro é seu, faça com ele o que desejar, invista onde achar mais seguro, receba os retornos de onde tem aplicado, mas quanto a mim, continuarei por mais vinte anos no campo missionário investindo grandes coisas no reino de Deus na certeza de que provarei por mera graça divina de grandes coisas de Deus.

Carinhosamente,

Luis A R Branco
O menor de teus irmãos

Adquira o livro Verdade Na Prática: Textos Selecionados por apenas $4,99

20140417-084042.jpg

ONDE COMPRAR

Anúncios