Sátira “e agora José”

Posted on 14 de Julho de 2014

11


Extraído do Google Imagens

Extraído do Google Imagens

E agora, José?
A Copa acabou,
A luz apagou,
Os estrangeiros sumiram,
Os de Ghana ficaram,

E agora, José?
E agora, você?
Você que é sem nome,
Que zomba dos argentinos,
Você que canta pagode,
Que ama e não protesta?

E agora, José?

Está sem saúde,
Está sem educação,
Está sem candidato fiáveis,
Já não pode expressar sua opinião política,
Já não pode escolher ser homem ou mulher,
Eleger outros já não pode,
A urna está corrompida,
A Copa das Copas acabou,
O dinheiro não veio,
O transporte não veio,
O emprego não veio,
Só veio a utopia,
E tudo acabou,
Os petralhas na cadeia saíram,
Só os pobres lá ficam,
E agora, José?

Sua falta de palavra,
Seu instante de picaretagem,
Sua ganância,
Os livros que não leu,
Seu cartão Ourocard,
Seu cartão Visa,
Seu cartão MasterCard,
Todos com limites estourados,
Sua dívida – e agora?

Com a chave na mão,
Quer abrir a porta da casa,
Não existe casa;
Quer morrer com decência num hospital,
Mas não há vaga;
Quer ir para o exterior,
Mas brasileiros não são mais bem-vindos.
José, e agora?

Se você gritasse quando ainda era possível,
Se você manifestasse quando ainda era livre
Se você não elegesse corrupto,
Aqueles que estão em Brasília,
Se você lutasse,
Se você morresse lutando,
Mas você não morre,
Você é covarde, José!

Sozinho num Brasil esquecido pelo mundo,
Qual bicho-do-mato,
Sem quem te represente,
Nem justiça alguma
Na qual possa confiar,
Sem carro preto,
Que fuja em disparada
Você marcha, José!
José, para onde?

por Luis A R Branco

P.S. Sátira inspirada na na poesia do grande intelectual e poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade.

 

BookCoverPreview.do 2

Clube de Autores

Google Play Books

Livraria Saraiva

Amazon

Livraria Cultura

Anúncios