A Universal do Reino de Deus e seu parentesco com Hidra de Lerna

Posted on 25 de Abril de 2014

2


Hidra de Lerna e Herácles - Extraído do Google Imagens

Hidra de Lerna e Herácles – Extraído do Google Imagens

A Universal do Reino de Deus (IURD) já conhecemos um pouco, portanto, permitam-me apresentar-lhes Hidra de Lerna, e assim mostrar o parentesco destas duas figuras mitológicas, uma contemporânea e tupiniquim e outra da antiga Grécia.

Hidra de Lerna é um animal exótico da mitologia grega, filho dos monstros Tifão e Equidna, que que vivia num pântano que ficava junto ao lago de Lerna, na região do Peloponeso. A Hidra de Lerna tinha corpo de dragão e sete cabeças de serpente, cujo hálito era venenoso. “A Hidra era tão venenosa que matava os homens apenas com o seu hálito; se alguém chegasse perto dela enquanto ela estava dormindo, apenas de cheirar o seu rastro a pessoa já morria em terrível tormento.” [1]

Já a IURD, é uma seita com algumas características neopentecostais fundada em 9 de julho de 1977, pelo Bispo Edir Macedo e seu cunhado Romildo Ribeiro Soares (R.R. Soares). Nos primeiros momentos da caminhada da IURD, esta demonstrou alguma característica evangélica, mas com o passar dos anos, desenvolveu uma prática e crença religiosa tão distinta do evangelho, que se caracterizou com uma seita recheada de sincretismo religioso. Na verdade a IURD a semelhança de Hidra de Lerna, se tornou um “bicho de sete cabeças” [2].

Tal como Hidra de Lerna, a IURD desenvolveu um corpo, que ela chama de “igreja”, exótico, com características estranhas difíceis de explicar. A IURD tem uma declaração de fé resumidíssima, uns quatro ou cinco pontos, dos quais apenas três são óbvios, os outros dois precisamos nos esforçar para entender naquele emaranhado de palavras. [3] Nos quais se destacam o “Batismo com o Espírito Santo”, “Santa Ceia”, e como é de se esperar os “Dízimos e ofertas”. No entanto, o que é claro para todo bom observador é que a IURD é um esquema religioso planejado cuidadosamente para atrair fiéis ávidos por uma fé fácil, sem compromisso ético moral, sem o crivo das Escrituras Sagradas, materialista e com o máximo de elementos religiosos possíveis para agradar pessoas de todos os gostos.

A IURD não é uma igreja evangélica porque não possui características suficientes para ser reconhecida como uma, na verdade é uma seita transvestida de evangelho. Edir Macedo, arquiteto-mor deste esquema religioso, planejou cada elemento, reunindo num único caldeirão das bruxas uma porção maligna com elementos do evangelicalismo brasileiro, espiritismo, catolicismo, judaísmo, e uma serie de doutrinas e práticas recheadas de ensinos de sombras, imagens e alegorias extraídas destas fontes religiosas acima mencionadas. A IURD é uma reencarnação de Hidra de Lerna que ressurgiu na Av. Suburbana, no Rio de Janeiro.

Assim como Hidra, o hálito dos pastores e bispos da IURD é capaz de levar qualquer homem a morte espiritual através de seus ensinos diabólicos e doutrina de demónios como Paulo bem referiu: “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demónios.” (1 Timóteo 4:1). Este dragão com sete cabeças chamado IURD penetrou em vários ramos da sociedade brasileira e se espalhou para outros países soltando suas baforadas diabólicas e mortais.

Apresento a seguinte síntese sobre minha perspetiva apologética sobre a IURD: 1. A IURD é uma seita com origem no evangelicalismo brasileiro. 2. A IURD não apresenta em sua fé e prática elementos suficientes que possam ser caracterizá-la nem mesmo como uma “igreja evangélica neopentecostal”. 3. A IURD não prega o evangelho da graça, portanto, seus pastores, bispos, obreiros e seguidores são ímpios, perdidos e carentes do evangelho da salvação. Sei que alguns considerarão minhas palavras duras, mas contra o hálito maligno da IURD precisamos ser o mais enfático e transparente possível.

E por fim, volto a velha Hidra de Lerna da Grécia antiga, seu fim foi nas mãos de Herácles, que esmagou, queimou e decapitou as cabeças desta besta mortal. Este fim faz-me lembrar de Génesis 3:15, quando o Deus Eterno prometeu que o Messias esmagará a cabeça da serpente.

por Luis A R Branco

 

[1] Higino, Fabulae, XXX, Doze Trabalhos de Hércules ordenados por Euristeu
[2] A expressão “bicho de sete cabeças” baseia-se na lenda de Hidra de Lerna.
[3] Igreja Universal do Reino de Deus, “Em Que Cremos,” Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus, accessed April 25, 2014, http://www.universal.org/institucional/emquecremos.html.

Adquira aqui o livro Verdade na Prática: Textos Selecionados

Verdade
logomarca 1366131569-amazon google_playLuluLogo1

 

Anúncios