Janela

Posted on 11 de Novembro de 2013

5


Sentado em meu mundo seguro vejo a diante de mim uma janela.
Uma janela antiga e de vidro já gastos pelo tempo e com alguma sujidade.
Com os meus olhos fixos nesta única fonte de luz e conexão com o mundo lá fora me pergunto:
– O que há lá fora?

Meus pensamentos fugazes logo trataram de responder:
– Há vida!
Mas oxalá meus pensamentos fossem um só ou unânimes, mas logo outro pensamento indaga:
– Mas aqui dentro também não há vida?

Foi quando finalmente conseguiram concordar:
– Há vida dos dois lados da janela!
Mas um pensamento que até agora estava quieto perguntou:
– São vidas iguais ou vidas diferentes?
Na busca pela resposta todos os meus pensamentos falavam ao mesmo tempo me levando a uma grande confusão e inquietude.

Depois de muito discutirem concordaram que que há vida dos dois lados da janela, mas são vidas diferentes e fizeram uma lista com as diferenças da vida lá fora comparada com a vida aqui dentro.
Listaram de tudo: frio, calor, chuva, abrigo, conforto, desconforto, segurança, insegurança, alimento, fome, e assim foram trazendo a tona todas as diferenças.

Foi então que do inconsciente da minha mente, daquela parte escura onde se escondem os pensamentos mais perversos, se ouviu uma voz dizendo:
– MEDO.

E todos os demais pensamentos calaram-se, e a palavra medo ecoou horas a fio em minha mente assustada, até que concluí que assim como a vida, o medo vive também dos dois lados da janela.

Luis A R Branco

Anúncios
Posted in: Poesia